BLOG

Plugins

Plugins para proteger o seu site contra ataques força bruta

Como falamos no artigo anterior, os ataques de força bruta são uma ameaça real e muito séria à integridade dos seus dados e do seu site como um todo. Pensando nisso, separamos 4 plugins para auxiliá-lo com a proteção do seu site, não só contra esses ataques, mas auxiliam a segurança de modo geral para o seu site, realizando verificações de malwares, verificando spam, criando backups automatizados, dentre muitas outras funções. Para isso, primeiro, instale e ative o Jetpack no WordPress. Em seguida, no painel do Jetpack, clique em → Gerenciar configurações de segurança. Role até o final da página e encontre a seção → Login do WordPress.com.  Aqui, ative a opção → Exigir que as contas usem a autenticação em duas etapas do WordPress.com. Em seguida, encontre a página Autenticação em duas etapas na seção Segurança. Você pode optar por configurar sua autenticação de dois fatores com um aplicativo ou SMS. Se você escolher a primeira opção, precisará baixar um aplicativo como o Google Authenticator (iPhone | Android). O WordPress fornecerá um QR Code, que você pode digitalizar com o aplicativo e inserir o código gerado. Ao clicar em Configurar usando SMS, você precisará inserir seu número de telefone. Depois de verificar o código enviado para seu telefone, você poderá começar a usar a autenticação de dois fatores. Agora você pode verificar sua identidade sempre que fizer login no WordPress!  Esta configuração oferece maior proteção contra ataques de força bruta. Os quatro melhores plugins do WordPress para proteção contra Ataques de Força Bruta Instalar um plugin pode ser a maneira mais eficaz de prevenir ataques de força bruta. Talvez você não saiba qual opção é a certa para o seu site, pensando nisso, trouxemos 4 das melhores opções, listando os prós e contras de cada um para que você possa fazer uma escolha mais segura e assertiva. 01. JETPACK Ao baixar o Jetpack, você pode acessar a proteção contra ataques de força bruta e muitos outros recursos de segurança. O Jetpack também oferece ferramentas de desempenho e crescimento, para que você possa escolher um plano perfeito para suas necessidades.  Se a proteção contra ataques de força bruta é tudo que você precisa, a boa notícia é que ela é totalmente gratuita! Principais recursos da proteção contra ataques de força bruta do Jetpack: PRÓS: – Se sua página de login for acidentalmente bloqueada devido às medidas de proteção do Jetpack, você pode enviar um link de login especial para seu endereço de e-mail. – O Jetpack compara cada novo endereço IP com seu banco de dados global de endereços maliciosos. – Com o Jetpack, você também pode acessar medidas de segurança estendidas, como monitoramento de tempo de inatividade, backups de sites e verificações de malware. CONTRAS: – O Jetpack exige que você se conecte a uma conta do WordPress.com.  – Se o seu servidor estiver configurado incorretamente, ele poderá não retornar um endereço IP, o que pode desativar o recurso de proteção contra força bruta. Facilidade de uso: Com o Jetpack, você pode implementar a prevenção contra ataques de força bruta em uma única etapa. Após a instalação, basta visitar o painel principal do Jetpack para ativar o recurso. Então, você pode simplesmente permitir que o Jetpack faça o trabalho sem qualquer manutenção. Sucuri é uma ferramenta especializada em monitoramento, proteção e desempenho de sites. Ao implementar um Web Application Firewall (WAF), a Sucuri pode bloquear ataques de força bruta em seu site.  Principais recursos: Firewall de aplicativos da Web (WAF) Limita tentativas de login Ferramentas automatizadas para bloquear bots Lista de permissões Autenticação de dois fatores, CAPTCHA e senhas Prós: A Sucuri inclui bloqueio geográfico para que você possa bloquear todos os visitantes de intervalos de IP específicos. Este recurso pode impedir ataques de força bruta de determinados países. O firewall da Sucuri limpa o tráfego antes mesmo de chegar ao seu site WordPress. Contras: A versão gratuita do Sucuri não oferece prevenção de força bruta. Para acessar um WAF, você precisará adquirir uma assinatura.  Embora a Sucuri seja uma opção eficaz para prevenção de ataques de força bruta, ela é cara. Existem outros plugins gratuitos com recursos semelhantes. Facilidade de uso: Comparado a outros plugins, o Sucuri possui um processo de configuração mais complicado. Para começar a usar o Sucuri, você precisará adquirir um plano e configurar um firewall. Isso envolve integrar sua conta cPanel e alterar manualmente seus registros DNS. Preços: Com a Sucuri, a proteção contra força bruta requer um plano premium. Esse recurso vem com todas as opções de assinatura, que começam em US$ 199,99 por ano.

LEIA MAIS »
Segurança

Como proteger o WordPress contra ataques força bruta (brute force)?

Os ataques de força bruta acontecem quando hackers tentam acessar os arquivos do seu site tentando constantemente novas senhas. Se tiverem sucesso, poderão roubar seus dados privados, adicionar malware ou até mesmo derrubar completamente seu site. Felizmente, você pode facilmente evitar esses ataques de força bruta. Com a atualização das suas informações de login ou a habilitação da autenticação de dois fatores, você pode dificultar a entrada de hackers em seu site. Outro método eficaz é instalar um plug-in de proteção contra força bruta como o Jetpack. Aqui nesse artigo, iremos te explicar o que são os ataques de força bruta e como você pode evitá-los.  O que é um ataque de força bruta? Os ataques de força bruta acontecem quando hackers usam tentativa e erro para acessar seu site. Isso geralmente envolve adivinhar suas informações de login usando algum software automatizado. Essencialmente, os hackers tentarão muitas combinações diferentes de senhas e nomes de usuário até encontrarem a sua. Outras formas de hacking geralmente exploram vulnerabilidades no seu site WordPress. Por exemplo, os hackers podem acessar seus dados por meio de software, plugins ou temas desatualizados. Mesmo uma versão antiga do PHP pode deixar seu site vulnerável. Por outro lado, os ataques de força bruta dependem de credenciais de login fracas. Se você tiver uma senha facilmente adivinhada como “123456”, os hackers podem usar um software automatizado para entrar no seu site. Ataques de força bruta são mais comuns do que você imagina. Na verdade, eles estão se tornando uma ameaça maior do que nunca. No final de 2021, a taxa de ataques de força bruta aumentou 160 por cento. As principais consequências de um ataque de força bruta ao seu site são: As consequências desses ataques podem ser de fato brutais, e embora as configurações padrão do WordPress não ofereçam proteção extra contra ataques desse tipo, existem algumas medidas que podem ser tomadas para evitar que isso aconteça. Como evitar ataques de força bruta no WordPress Agora que você já sabe o que são os ataques de força bruta, vamos discutir como proteger seu site WordPress contra eles.  Etapa 1: Atualize seu nome de usuário Como os ataques de força bruta envolvem a adivinhação de informações de login, você pode proteger seu site WordPress atualizando suas credenciais. Primeiro, considere escolher um nome de usuário exclusivo. Nas versões mais antigas do WordPress, o nome de usuário padrão era “admin”.  Agora, novos titulares de contas podem escolher seus nomes de usuário ao fazer login pela primeira vez. Mas pode ser necessário atualizar seu nome de usuário se tiver uma conta mais antiga. Para ver qual é o seu nome de usuário atual, abra o painel do WordPress. Em seguida, navegue até Usuários → Perfil. Você encontrará seu nome de usuário na seção Nome. Se você já possui um nome de usuário exclusivo, pule para as próximas etapas.  Mas se você vir admin como seu nome de usuário, o mais seguro é alterá-lo.  Infelizmente, você não poderá editar seu perfil diretamente no painel. Uma das maneiras mais simples de alterar seu nome de usuário do WordPress é criar um novo usuário. Em seguida, você pode atribuir a ele um nome de usuário exclusivo e os mesmos privilégios administrativos. A única desvantagem desse método é que você terá que usar um novo endereço de e-mail. Primeiro, vá para Usuários → Adicionar novo. Nesta página, crie um novo nome de usuário e insira seu endereço de e-mail. Certifique-se de definir a função do usuário como Administrador. Uma dica interessante: Caso queira utilizar o mesmo endereço de e-mail, você pode simplesmente adicionar um sinal de mais com letras adicionais após o nome de usuário.  Por exemplo, se o seu endereço de e-mail normal for “[email protected]”, você pode usar “[email protected]”. O WordPress considerará este um novo endereço de e-mail, mas usará a mesma caixa de entrada. Em seguida, você precisará sair do WordPress e usar o novo nome de usuário para fazer login novamente. Em seguida, vá para →Todos os usuários e em seguida clique em Excluir abaixo da função de usuário admin. Durante o processo de exclusão, você precisará mover seu conteúdo para o novo nome de usuário. Para fazer isso, selecione →Atribuir todo o conteúdo a [novo nome de usuário]. Muita atenção nessa etapa, pois ela é uma etapa crítica, onde seu conteúdo poderá ser deletado. Finalmente, clique em →Confirmar exclusão. Se quiser começar a usar o mesmo endereço de e-mail atribuído ao nome de usuário admin, você pode atualizá-lo agora.  Se quiser alterar seu nome de usuário existente, você precisará fazer isso por meio do banco de dados do WordPress. Atenção: Fazer alterações no banco de dados pode ser perigoso, então é melhor fazer isso se você já tiver experiência nessa área.  Para alterar seu nome de usuário, siga as seguintes etapas: → Clique na ferramenta phpMyAdmin no CPanel do seu provedor de hospedagem (a localização exata pode variar de acordo com seu host). → Clique no banco de dados do seu site WordPress no painel esquerdo. Isso abrirá as tabelas do seu banco de dados. → Clique na tabela wp_users. O prefixo “wp_” é definido por padrão, mas seu host pode tê-lo alterado para outro. Por exemplo, a tabela pode ser chamada de “janb_users”.  → Encontre o nome de usuário que você deseja alterar no lado direito (nesse caso, “Admin”) e clique em Editar. → No campo user_login , digite o novo nome de usuário que deseja definir. → Clique no botão Ir. Pronto, agora você pode fazer login com o novo nome de usuário! Etapa 2: Escolha uma senha forte Outra forma de proteger seu site contra ataques de força bruta é usar uma senha forte. Como os hackers usam botnets (redes de robôs) para adivinhar senhas aleatoriamente, pode ser útil ter uma com uma sequência exclusiva de números e letras. Estas são as características de uma senha forte: Para atualizar sua senha do WordPress, navegue até Usuários → Perfil. Em seguida, role para baixo até Gerenciamento de contas. Em

LEIA MAIS »
Certificados

VOCÊ SABE O QUE É UM CERTIFICADO SSL?

Um certificado SSL é um certificado digital que autentica a identidade de um site e permite uma conexão criptografada. SSL significa Secure Sockets Layer, um protocolo de segurança que cria um link criptografado entre um servidor web e um navegador web. Empresas e organizações precisam adicionar certificados SSL aos seus sites para proteger as transações online e manter as informações dos clientes privadas e seguras. Resumindo: o SSL mantém as conexões de internet seguras e evita que criminosos leiam ou modifiquem informações transferidas entre dois sistemas. Quando você vê um ícone de cadeado próximo ao URL na barra de endereço, significa que o SSL protege o site que você está visitando. Desde a sua criação, há cerca de 25 anos, existiram várias versões do protocolo SSL, que em algum momento enfrentaram problemas de segurança. Seguiu-se uma versão renovada e renomeada – TLS (Transport Layer Security), que ainda está em uso hoje. No entanto, as iniciais SSL permaneceram, então a nova versão do protocolo ainda é normalmente chamada pelo nome antigo. Como funcionam os certificados SSL? O SSL funciona garantindo que quaisquer dados transferidos entre usuários e sites, ou entre dois sistemas, permaneçam impossíveis de ler. Ele usa algoritmos de criptografia para embaralhar os dados em trânsito, o que impede que hackers os leiam à medida que são enviados pela conexão. Esses dados incluem informações potencialmente confidenciais, como nomes, endereços, números de cartão de crédito ou outros detalhes financeiros. E como funciona esse processo? 01. Um navegador ou servidor tenta se conectar a um site (ou seja, um servidor web) protegido com SSL. 02. O navegador ou servidor solicita que o servidor web se identifique. 03. O servidor web envia ao navegador ou servidor uma cópia de seu certificado SSL em resposta. 04. O navegador ou servidor verifica se confia no certificado SSL. Se isso acontecer, ele sinaliza isso para o servidor web. 05. O servidor web então retorna uma confirmação assinada digitalmente para iniciar uma sessão criptografada SSL. 06. Os dados criptografados são compartilhados entre o navegador ou servidor e o servidor web. Esse processo às vezes é chamado de “aperto de mão SSL”, e embora pareça um processo demorado, ele ocorre em milissegundos. Quando um site é protegido por um certificado SSL, a sigla HTTPS (que significa HyperText Transfer Protocol Secure) aparece na URL. Sem um certificado SSL, apenas as letras HTTP aparecem – ou seja, sem o S de Seguro. Um ícone de cadeado também será exibido na barra de endereço URL. Isso sinaliza confiança e tranquiliza quem visita o site. Para visualizar os detalhes de um certificado SSL, você pode clicar no símbolo do cadeado localizado na barra do navegador. Os detalhes normalmente incluídos nos certificados SSL são: ⭑ O nome de domínio para o qual o certificado foi emitido ⭑ Para qual pessoa, organização ou dispositivo foi emitido ⭑ Qual autoridade certificadora o emitiu ⭑ Assinatura digital da Autoridade Certificadora ⭑ Subdomínios associados ⭑ Data de emissão do certificado ⭑ A data de validade do certificado ⭑ A chave pública (a chave privada não é revelada) Por que você precisa de um certificado SSL: Os sites precisam de certificados SSL para manter os dados do usuário seguros, verificar a propriedade do site, evitar que invasores criem uma versão falsa do site e é claro, transmitir confiança aos usuários. Se um site solicitar que os usuários façam login, insiram dados pessoais, como números de cartão de crédito, ou visualizem informações confidenciais, como benefícios de saúde ou informações financeiras, é essencial manter os dados confidenciais. Os certificados SSL ajudam a manter a privacidade das interações online e garantem aos usuários que o site é autêntico e seguro para compartilhar informações privadas. Mais relevante para as empresas é o fato de que um certificado SSL é necessário para um endereço da web HTTPS.  O HTTPS é a forma segura de HTTP, o que significa que sites HTTPS têm seu tráfego criptografado por SSL. A maioria dos navegadores marca sites HTTP – aqueles sem certificados SSL – como “não seguros”. Isso envia um sinal claro aos usuários de que o site pode não ser confiável – incentivando as empresas que ainda não o fizeram a migrar para HTTPS. Um certificado SSL ajuda a proteger informações como: ⭑ Credenciais de login; ⭑ Transações com cartão de crédito ou informações de conta bancária; ⭑ Informações de identificação pessoal – como nome completo, endereço, data de nascimento ou número de telefone; ⭑ Documentos legais e contratos; ⭑ Registros médicos; ⭑ Informações proprietárias. Tipos de certificado SSL Existem diferentes tipos de certificados SSL com diferentes níveis de validação. Os seis tipos principais são: 1. Certificados de validação estendida (EV SSL) 2. Certificados validados pela organização (OV SSL) 3. Certificados validados por domínio (DV SSL) 4. Certificados SSL curinga 5. Certificados SSL multidomínio (MDC) 6. Certificados de Comunicações Unificadas (UCC) Certificados de validação estendida (EV SSL) Este é o tipo de certificado SSL de melhor classificação e mais caro. Tende a ser usado para sites de alto perfil que coletam dados e envolvem pagamentos online. Quando instalado, este certificado SSL exibe o cadeado, HTTPS, nome da empresa e o país na barra de endereço do navegador. A exibição das informações do proprietário do site na barra de endereço ajuda a distinguir o site de sites maliciosos. Para configurar um certificado EV SSL, o proprietário do site deve passar por um processo padronizado de verificação de identidade para confirmar que está legalmente autorizado aos direitos exclusivos do domínio. Certificados validados pela organização (OV SSL) Esta versão do certificado SSL possui um nível de garantia semelhante ao certificado EV SSL desde a obtenção de um; o proprietário do site precisa concluir um processo de validação substancial. Esse tipo de certificado também exibe as informações do proprietário do site na barra de endereço para distinguir sites maliciosos. Os certificados OV SSL tendem a ser os segundos mais caros (depois dos EV SSLs) e seu objetivo principal é criptografar as informações confidenciais do usuário durante as transações. Sites

LEIA MAIS »
Nuvem

O QUE É A COMPUTAÇÃO EM NUVEM?

A Computação em Nuvem, frequentemente referida como Cloud Computing, é uma abordagem que se destaca pela utilização de serviços de computação através da internet, incluindo armazenamento de dados e capacidade de processamento. Nessa modalidade, os recursos computacionais são disponibilizados remotamente e podem ser acessados de qualquer lugar, desde que se tenha uma conexão à internet e dispositivos de entrada, como teclado e mouse. Além disso, essa tecnologia oferece escalabilidade, permitindo que empresas aumentem ou reduzam recursos de acordo com suas necessidades. Isso resulta em maior flexibilidade, eficiência e, muitas vezes, economia de custos, tornando-a uma escolha valiosa para organizações de todos os tamanhos. Os serviços oferecidos pela computação em nuvem abrangem uma ampla gama de recursos, incluindo servidores, armazenamento, bancos de dados, rede, software, análises e muito mais, todos acessíveis pela internet. A popularização da computação em nuvem foi impulsionada pelas inovações tecnológicas, tornando-a mais acessível e atrativa para um público mais amplo. Ela quebrou a ideia tradicional de que aplicativos precisam ser baixados e instalados no computador, uma vez que os serviços ficam disponíveis na web, proporcionando facilidade de acesso. Uma das principais razões para a fama da computação em nuvem é a sua abordagem centrada no usuário. Os usuários simplesmente precisam se conectar à internet para acessar uma ampla gama de serviços, enquanto os fornecedores assumem a responsabilidade pelo desenvolvimento, manutenção, atualizações, armazenamento, backups e outras tarefas. CLASSIFICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM A computação em nuvem pode ser categorizada em três tipos principais:IaaS (Infraestrutura como Serviço), PaaS (Plataforma como Serviço) e SaaS (Software como Serviço). Infraestrutura como Serviço (IaaS):Este é o nível mais fundamental da computação em nuvem. Os usuários têm acesso a uma gama de serviços, como infraestrutura de TI, servidores virtuais, armazenamento, redes e sistemas operacionais. Plataforma como Serviço (PaaS): Oferece um ambiente na web que atende às demandas dos usuários, incluindo testes, gerenciamento de aplicativos e desenvolvimento mais rápido de aplicativos da web, com menos preocupações com configuração, rede, bancos de dados e armazenamento. Software como Serviço (SaaS):Permite o acesso a aplicativos pela internet, com as empresas de computação em nuvem hospedando e cuidando dos aplicativos de software dos usuários, tornando simples a tarefa de se conectar e utilizar o software por meio de um navegador, seja em um telefone ou computador. Principais Benefícios da Computação em Nuvem A computação em nuvem é adotada por grandes organizações por diversos motivos: Redução de custos: Elimina a necessidade de compra de hardware, software, instalação e manutenção, economizando em despesas desnecessárias. Rapidez de Implementação: Os serviços sob demanda permitem configurações e implementações rápidas, mesmo em grande escala. Escalabilidade Global: A capacidade de dimensionamento permite atender às metas de produção mais rapidamente, acelerando a produção. Confiabilidade: Reduz custos de backup e recuperação de dados e proporciona segurança adicional ao não permitir que os dados se espalhem pela internet. Em resumo, a computação em nuvem está revolucionando a forma como empresas e indivíduos utilizam tecnologia. Com a flexibilidade de acessar uma ampla gama de serviços pela internet, a capacidade de dimensionar recursos de acordo com as necessidades e os benefícios de redução de custos e rapidez de implementação, fica claro por que a computação em nuvem se tornou uma escolha tão popular. À medida que essa tecnologia continua a evoluir, podemos esperar ainda mais inovações e oportunidades emocionantes no mundo da tecnologia da informação. Portanto, fique atento às últimas tendências e avanços na área da computação em nuvem para aproveitar ao máximo suas vantagens. Fontes: Escola LinuxRapidcloud

LEIA MAIS »
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Gostando do Conteúdo?
Compartilhe